Entenda como será o plano de retomada das atividades anunciado em São Paulo

João Doria explicou que a gestão vai usar bandeiras para sinalizar as cinco fases da retomada de atividades econômicas

O governador de São PauloJoão Doria (PSDB), explicou nesta quarta-feira (27/5), que a gestão vai usar bandeiras para sinalizar as cinco fases da retomada de atividades econômicas no estado, anunciada nesta data, a partir de 1º de junho.

A “retomada consciente”, como foi chamada pelo Palácio dos Bandeirantes, é um “cuidadoso passo adiante” e vai permitir em algumas áreas a retomada “gradual e segura” de atividades, disse o tucano.

“Estaremos monitorando, dia a dia, a evolução do processo”, apontou Doria. “Se tivermos de dar um passo atrás, se tivermos que tomar medidas que agora estamos flexibilizando, não hesitaremos em fazê-lo”, garantiu.

Ele ressaltou que a nova fase do enfrentamento à pandemia do novo coronavírus em São Paulo não é um “relaxamento”, mas sim um “ajuste fino levando em conta as particularidades regionais”.

Flexibilização do isolamento em SP

A secretária de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo, Patrícia Ellen, afirmou que a nova fase da quarentena em São Paulo, chamada “Retomada Consciente”, prevê cinco fases.

Segundo apresentação do plano durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, a primeira fase, de “alerta máximo” prevê a liberação apenas de serviços essenciais, como a indústria e a construção civil.

A segunda, de “controle”, funciona com eventuais liberações. Funcionam – com restrição de fluxo, horário e distanciamento – atividades imobiliárias, concessionárias, escritórios, comércio e shopping centers.

A terceira, de “flexibilização”, traz maior liberação das atividades. Funcionam sem restrições algumas atividades liberadas na segunda fase além da possibilidade de abertura, com restrições, de bares, restaurantes e salões de beleza.

A quarta, de “abertura parcial”, inclui restrições menores e a liberação, com restrições, de academias. Por fim, a quinta fase, chamada “normal controlado”, de liberação de todas as atividades com protocolos.

Os serviços de educação e transporte não tiveram faseamento definido. Segundo a secretária, o Estado de São Paulo se encontra atualmente entre a segunda e a terceira fase do Plano São Paulo.

Fonte: Correio Brasiliense